• Brasil 4.0

Governo anuncia empresas associadas ao Centro da 4ª Revolução Industrial

Bracell e AstraZeneca são as primeiras integrantes do Centro em SP, em parceria com Ministério da Economia, anunciadas no WEF em Davos

Governo do Estado de São Paulo

Imagem de Gerd Altmann por Pixabay

O Governador João Doria e a Secretária de Desenvolvimento Econômico, Patricia Ellen, anunciaram nesta quarta-feira (22), em Davos, na Suíça, que as empresas Bracell e a farmacêutica AstraZeneca são as primeiras associadas ao Centro Afiliado da 4ª Revolução Industrial.


A instalação desse centro, que é o oitavo no mundo, será estabelecida em São Paulo, no campus do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).


“Iniciativa pioneira e inovadora do Governo de São Paulo e do Fórum Econômico Mundial. A quarta revolução industrial é um passo para o futuro, gerando empregos, fortalecendo o empreendedorismo e colocando São Paulo na plataforma mundial”, afirmou o Governador João Doria durante o Fórum Econômico Mundial.

A medida marca o comprometimento formal da 4ª Revolução Industrial no Brasil, em parceria com a iniciativa privada. A inauguração do escritório no IPT acontecerá durante o Fórum Econômico Mundial para a América Latina, em maio de 2020. Com isso, o Brasil se insere na rede dedicada à governança global de tecnologia junto com China, Japão, Índia, Colômbia, Israel e Emirados Árabes.


“Estamos entusiasmados com o fato do Brasil se juntar à rede do Centro da 4ª Revolução Industrial. Como a maior economia da América Latina, é vista como um modelo para a região. Estamos ansiosos para acelerar o impacto das tecnologias da 4ª Revolução Industrial para que muitos possam se beneficiar”, disse o Diretor do Centro da 4ª Revolução Industrial do Fórum Econômico Mundial, Murat Sönmez.

Patricia Ellen enfatizou a importância de elaborar políticas inteligentes e inovadoras. “Esta é uma iniciativa que coloca São Paulo e o Brasil na fronteira da governança global de novas tecnologias. E o papel deste Governo é justamente valorizar e colocar o investimento em ciência e tecnologia como pilar fundamental da retomada da produtividade e do crescimento econômico”, afirmou.


Além da Bracell e da AstraZeneca, a Qualcomm está trabalhando com o Fórum Econômico Mundial e avaliando formas de apoiar o Centro.


Inicialmente, o Centro da 4ª Revolução Industrial no Brasil atuará com marcos regulatórios e políticas públicas que acelerem a implementação, no território nacional e no mundo, de políticas de dados, Internet das Coisas, cidades inteligentes, robótica, Inteligência artificial e blockchain.


Como parte da rede global do Fórum Econômico Mundial, as equipes trocarão conhecimento e irão acelerar o processo global de adoção de tecnologia.


O Estado de São Paulo e o IPT se preparam para receber essa iniciativa, que está alinhada às ações de todo o Governo no objetivo de estimular a inovação e o empreendedorismo, voltados a projetos com impacto mundial em benefício de toda sociedade.


Projeto CITI


O Centro da 4ª Revolução Industrial faz parte do Projeto CITI (Centro Internacional de Tecnologia e Inovação), que já está em andamento, e tem como objetivo criar o Vale do Silício brasileiro, tornando São Paulo uma referência global em ciência, tecnologia e inovação.


Fonte: Investe São Paulo

47 visualizações
banner-siemens-plm-160x600-pt.jpg
Assine nossa newsletter!
  • Ícone cinza LinkedIn
  • Grey Facebook Ícone

© 2019 - Brasil 4.0 - www.br40.com.br

Fale conosco - contato@br40.com.br