• Brasil 4.0

21 de abril: Dia da Indústria Têxtil

Setor é o segundo maior empregador do país e uma das forças de retomada da economia nacional


21 de abril: Dia da Indústria Têxtil. O setor têxtil é o responsável pela transformação das fibras em fios, dos fios em tecidos e dos tecidos em moda e história. A indústria têxtil é complexa, sendo seu processo muito diversificado, algumas indústrias possuem todas as etapas do processo de produção como fiação, tecelagem e beneficiamento, ou apenas atuam em um deles. Há ainda os processos de produção intermediários, como por exemplo: engomadeira ou engomagem.


Hoje, o Brasil é referência mundial em design de vários segmentos de moda. A indústria têxtil brasileira é a segunda maior empregadora da indústria de transformação, perdendo apenas para alimentos e bebidas. De acordo com o Panorama Setorial, estudo feito pela FIEMG, no Brasil são 9.688 empresas e, em Minas Gerais, 1.107 (11,4%), as quais empregam, no Brasil, 249.661, e, em MG, 26.234 (10,5%). A indústria têxtil nacional projeta crescimento de 8,3% na produção em 2021, uma das forças de retomada da economia.


Rogério Mascarenhas Cezarini, do Sindicato das Indústrias de Fiação e Tecelagem no Estado de Minas Gerais (SIFT-MG), ressalta a importância da representatividade do segmento. “Não vivemos sem têxteis: para vestir, dormir, banhar, fazer atividades físicas e limpar, todos precisam da indústria têxtil”, pontua. Cezarini celebra os dados da cadeia mineira têxtil. “São números robustos, que mostram a importância do nosso setor”, diz.


Aroldo Teodoro Campos, presidente do Sindicato das Indústrias Têxteis de Malhas no Estado de Minas Gerais (Sindimalhas) tem muito orgulho em fazer parte da história do setor. "Nós estamos prontos para a retomada da economia, com força para empregar, progredir e crescer e ajudar o Brasil a retomar a sua força", afirma.


Indústria têxtil no Brasil


O setor têxtil abarca processos produtivos muito diversos, como a produção de fibras, fiação, tecelagem, malharia e aviamentos, que fazem parte da cadeia produtiva de outras indústrias. É e um dos setores mais sensíveis a inovações. Nanotecnologia, robótica, confecção 4.0, minifábricas, impressões 3D, biotecnologia as inovações no setor influem incisivamente a indústria da confecção e da moda.


A indústria têxtil foi uma das pioneiras no processo de industrialização no Brasil. Porém, antes mesmo da chegada dos portugueses, os índios já praticavam atividades artesanais, utilizando técnicas antigas, como o entrelaçamento manual de fibras vegetais.


A automação da indústria têxtil coincidiu com a Revolução Industrial, quando as máquinas, até então acionadas por força humana ou animal, passaram a ser acionadas por máquinas a vapor e, mais tarde, motores elétricos. É interessante observar também que a indústria têxtil foi pioneira no controle de máquinas por dispositivos binários, através dos cartões perfurados usados nos teares Jacquard.


“É um espetáculo o que a indústria têxtil fez para a economia mundial. Por mais de 150 anos, com o seu desenvolvimento, o setor levou progresso e renda para Europa. Chegou ao Brasil em 1854 e em Minas Gerais em 1876, iniciando a nossa industrialização”, afirma Cezarini.


Para Campos, a história de Minas Gerais se mistura com a do setor têxtil. "Vocês já pensaram que grande parte das cidades mineiras surgiu ao redor de uma fábrica de tecido? Isso é muito relevante para a história de Minas Gerais e para o desenvolvimento do estado", pontua.


Confira a integra do estudo Panorama Setorial.


Fonte e imagens: FIEMG - Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais

2 visualizações0 comentário