• Brasil 4.0

Alavancando a TI híbrida para impulsionar a Transformação Digital

TI híbrida é tendência


O que é TI híbrida? Trata-se de um ambiente de TI que contém uma combinação de hardware e software em nuvem e em ambientes internos. É a estratégia líder que as empresas estão usando para migrar seletivamente dados ou cargas de trabalho para ambientes cloud-based, enquanto mantêm outras tecnologias em um ambiente com servidores internos ou on-premise.


O ambiente de TI híbrido pode conter uma variedade de modelos operacionais híbridos, incluindo Multicloud (serviços em nuvem de vários provedores), Nuvem Híbrida (nuvem pública e privada) ou alguma combinação de ambos, além de componentes on-premise (Figura 1). Na verdade, a maioria das empresas já usa mais de um provedor de nuvem.


Um cenário frequente para muitas empresas é o uso de um software tradicionalmente licenciado em seu datacenter local em conjunto com novos e modernos aplicativos de nuvem SaaS, adquiridos de um ou mais fornecedores (na Nuvem). Em alguns casos, o software licenciado pode ser transferido (“lifted and shifted”) para um provedor de infraestrutura como serviço (IaaS) em hiperescala, como AWS ou Microsoft. Ambos os cenários são configurações comuns de TI híbrida.



Por que a TI híbrida é importante


A Transformação Digital NÃO exige um recomeço com todas as aplicações e infraestrutura implantadas na nuvem. As soluções de TI híbrida são uma realidade pragmática para a maioria das empresas – suas soluções on-premise fornecem uma base sobre a qual podem executar seus roadmaps de Transformação Digital. Novas etapas de transformação incrementais, como migrar para a nuvem o desenvolvimento de aplicativos e testar cargas de trabalho, capacidade de recuperação de desastres, data warehouses e grandes quantidades de dados (como em IoT), ou investir estrategicamente em aplicativos SaaS em nuvem são exemplos que resultam em um portfólio de nuvem e ambientes internos – também conhecidos como TI híbrida.


Dado o investimento significativo em tempo, dinheiro e horas de trabalho já feito pelas empresas em seus ambientes de TI atuais – incluindo customizações – é difícil justificar o abandono de soluções que estão funcionando bem e de acordo com as necessidades. Embora algumas empresas possam simplificar suas necessidades de TI o suficiente por meio da virtualização para fazer uma mudança completa para a nuvem, a maioria terá alguma tecnologia (seja infraestrutura ou aplicações) que permanece em ambientes internos – especialmente aplicações complexas, essenciais e críticas aos negócios.


Mudanças recentes no mercado obrigaram algumas empresas a postergar seus projetos de Nuvem. Para outras, os cronogramas para roadmap de nuvem foram acelerados a fim de se adaptar às novas demandas dos clientes. No entanto, uma abordagem de migração cadenciada ainda é necessária porque as soluções existentes não podem ser substituídas todas de uma vez, ou pode não fazer sentido para os negócios substituí-las por completo. Para empresas que vivenciam qualquer um dos cenários, uma arquitetura híbrida de TI prevalecerá. O período de transição provavelmente durará muitos anos, enquanto os projetos de nuvem fazem mudanças incrementais no portfólio de hardware e software de uma empresa. A TI híbrida persistirá durante os anos de transição; em algumas companhias, pode existir indefinidamente.


Outro fator que está contribuindo para a duração do cenário de TI híbrida é a falta de paridade funcional nos produtos em nuvem quando comparados com seus equivalentes on-premise. Muitos componentes de TI (particularmente aplicações altamente complexas e customizadas que requerem robustez significativa) não têm um equivalente funcional na nuvem. Os CIOs estão optando por virtualizar sua infraestrutura e aguardar o amadurecimento desses produtos em nuvem. Enquanto esperam – ou seja, enquanto tiram o máximo proveito dos ativos existentes- , eles estão investindo em serviços em nuvem alinhadas às prioridades de negócios.


O poder da TI híbrida e da Computação em Nuvem


Um modelo de TI híbrido permite que os CIOs se concentrem em investimentos em nuvem que criam diferenciais, reduzem custos, apoiam a inovação para obter vantagem competitiva ou aumento da capacidade de crescimento. Na maioria dos casos, as empresas não irão jogar fora todas as suas soluções on-premise tão cedo (se o fizerem), particularmente onde essas soluções estão funcionando bem e/ ou movê-las para a nuvem não vai melhorar o negócio. O custo de uma migração cara e em grande escala para a nuvem de todos os componentes do pacote ERP, em alguns casos, pode roubar a inovação e deixar a empresa atrás de seus concorrentes que estão focados em investimentos estratégicos que gerem valor corporativo imediato. Por exemplo, a maioria das empresas não precisa trocar seus sistemas ERP por novos produtos Oracle ou SAP SaaS.



Um ambiente de TI híbrido permite que hardware e softwares em ambientes internos que atendam às necessidades de negócios coexistam com serviços em nuvem. Em vez de mover aplicações “comoditizadas” – como ERP- para a Nuvem, mantenha-as on-premise. Use projetos estratégicos de nuvem não apenas para permitir, mas também para acelerar a transformação por meio de tecnologias digitais. Exemplos de opções de nuvem que podem ser aproveitadas em um ambiente de TI híbrido incluem o uso de Coupa (plataforma cloud para gestão de gastos corporativos), IOT para criar conexões digitais com clientes e fornecedores, plataformas de aplicações low-code/no-code para desenvolvimento profissional e headless commerce para desenvolvimento de sites de comércio eletrônico.


Um ambiente de TI híbrido fornece aos CIOs a flexibilidade para dar suporte a qualquer caminho para o qual o roadmap de negócios esteja indo, sem forçar a substituição de tecnologia no “atacado”. Isso ajuda a reduzir os custos da mudança de tecnologias, especialmente se os recursos que mudam com frequência (ou precisam ser escalonados rapidamente) são retirados do pacote ERP principal e movidos para a nuvem.


Empresas globais adotam a TI híbrida como um elemento-chave de sua experiência de suporte


Tempel Steel – Objetivo de Inovação: Transformar-se em uma Empresa Orientada a Dados


Tempel Steel é um grande fabricante global de laminações de aço magnético para as indústrias automotiva, de motores, geradores, transformadores e iluminação. Ela se viu obrigada a inovar para competir no crescente setor de mercado de veículos elétricos e híbridos (HEV). Precisava investir em soluções de nuvem e em soluções de analytics que impulsionassem a inovação e o crescimento. Isso incluiu a implantação de intercâmbio eletrônico de dados (EDI) para e-commerce, segurança avançada de banco de dados e uma nova solução de gerenciamento de capital humano (HCM) SaaS.


As restrições de orçamento significaram redirecionar os recursos usados para “manter as luzes acesas” para implantar recursos de nuvem. O ambiente de TI híbrido da Temple Steel começou com a decisão de manter o seu ERP Oracle on-premise e usar serviços de suporte independente para liberar pessoas e orçamento para inovação. Desde a implementação de um modelo de TI híbrido, a empresa equilibrou seu foco em nuvem / on-premise atualizando seu banco de dados Oracle on-premise para 11g.


Metropolitan Water Reclamation District – Meta de inovação: Transformar completamente o cenário de TI


Com a tarefa de revitalizar um ambiente de TI antigo e profundamente customizado, o Metropolitan Water Reclamation District of Greater Chicago (MWRD) arquitetou uma estratégia para transformar completamente a equipe de TI e seu impacto no MWRD. A solução ERP existente – SAP Business Suite – permaneceu implantada internamente, mas o suporte foi direcionado para serviços independentes, a fim de liberar 50% dos fundos de manutenção anteriormente consumidos por um contrato anual junto à SAP para serviços de suporte.


Uma parte do orçamento realocado foi investido em um aplicativo de gerenciamento de serviços de tecnologia da informação (ITSM) baseado em nuvem – um sistema que formalizou o design, entrega e monitoramento do portfólio completo de serviços de TI do MWRD. Essa mudança para um ambiente de TI híbrido ajudou a posicionar o MWRD como um modelo para o setor de serviços públicos.


A TI híbrida é uma estratégia real, pragmática e inteligente


A TI híbrida tem um poder de perenidade que a posiciona como uma estratégia de TI de longo prazo. Como as empresas usam a Nuvem para ajudar a criar capacidades diferenciadas, elas não devem perder de vista os elementos de TI que não estão na nuvem. Deve-se encontrar um equilíbrio entre os investimentos e o suporte de recursos em nuvem e on-premise. Permitir que as prioridades de negócios, como gerenciamento de custos, inovação para vantagem competitiva e crescimento conduzam a composição do ambiente de TI híbrido.


Por Sebastian Grady, Presidente Rimini Street

Fonte e imagens: InforChannel

banner-siemens-plm-160x600-pt.jpg
Assine nossa newsletter!
  • Ícone cinza LinkedIn
  • Grey Facebook Ícone

© 2019 - Brasil 4.0 - www.br40.com.br

Fale conosco - contato@br40.com.br