top of page

Além da automação: Indústria 4.0 e a maturidade na transformação digital

A conjunção da Indústria 4.0 com a maturidade digital nos proporciona uma visão de futuro em que a automação, longe de ser um fim, é o começo da jornada. É um oceano de possibilidades onde, como navegantes, buscamos destinos mais distantes que a simples eficiência operacional.


Rodrigo Neves

No mundo da navegação tecnológica, firmamo-nos na automação e na Internet das Coisas (IoT) para potencializar nossos recursos, assim como a Mercedes-Benz, que utilizou a realidade aumentada para melhorar suas práticas de manutenção, ofertando aos seus engenheiros uma visão holística e detalhada das máquinas.


O mar digital, entretanto, não é calmo. A Adobe, por exemplo, alavancou sua transformação digital, atuando não apenas no design de software, mas também oferecendo soluções de cloud, abraçando os desafios de gerenciar um oceano de dados e garantindo robustez contra ameaças cibernéticas após superar inúmeros desafios de segurança em anos anteriores.


Desafios nas profundezas da digitalização


Como em qualquer viagem, os desafios emergem como tempestades no horizonte. A questão da segurança cibernética, a integração de tecnologias emergentes com sistemas legados e a necessidade de novas habilidades são obstáculos significativos.


A Sony, após sofrer ataques cibernéticos, teve que recalibrar seu curso, melhorando não apenas os protocolos de segurança, mas também integrando uma estrutura de segurança cibernética mais robusta em sua visão digital mais ampla.


Siemens

A maturidade digital como bússola


A maturidade digital vai além da tecnologia. Trata-se de criar uma cultura, desenvolver a equipe, é um compromisso com a inovação contínua. A Shell, em sua jornada digital, implementou o uso de IA e análise de dados para maximizar a eficiência de suas operações petrolíferas, mas também investiu fortemente em requalificar seus colaboradores e remodelar sua cultura para ser mais ágil e inovadora.


Assimilar totalmente a Indústria 4.0 requer uma progressão além da mera automação para alcançar um estado de maturidade digital. Empresas como a Amazon exemplificam essa maturidade não só automatizando armazéns, mas também utilizando dados e analytics para prever tendências, otimizar a cadeia de suprimentos e oferecer uma experiência personalizada ao cliente.


Navegue com estratégia e perícia, levando em consideração três princípios básicos:

  • Mapa estratégico: além de alinhar tecnologias, é crucial alinhar visões e missões organizacionais.

  • Desenvolver a tripulação: uma equipe com habilidades digitais avançadas e mentalidade inovadora é fundamental.

  • Inovação contínua: o ambiente digital é dinâmico; portanto, a inovação deve ser incessante.


Essa jornada tecnológica nos oferece a chance de remodelar não apenas nossas empresas, mas também a sociedade. A Indústria 4.0 é a embarcação, e a maturidade digital é a bússola que nos guia através do vasto oceano da transformação, permitindo-nos explorar novas oportunidades e criar futuros inovadores.


Siemens

A história de nossa exploração digital ainda está sendo escrita. Cada organização é um navio explorando esse novo mundo, enfrentando suas próprias tempestades e descobrindo suas próprias terras inexploradas. A maturidade digital, nesse contexto, serve como a bússola mais precisa, indicando a direção em que devemos nos mover para alcançar não apenas a sobrevivência, mas a prosperidade nessa nova era digital.


Rodrigo Neves

Por Rodrigo Neves, CEO da VitaminaWeb

Bacharel em Sistemas de Informação com ênfase em Planejamento Estratégico pelo Mackenzie e MBA em Gestão de Tecnologia pela FIAP. Mais de 18 anos de experiência com tecnologias para internet e telecomunicações. CEO e Fundador da VitaminaWeb e Presidente da AnaMid. Linkedin 


Comentários


160x600 whitepaper siemens.jpg
bottom of page