top of page
  • Foto do escritorBR40

BNDES e GFANZ anunciam intenção de construir plataforma para acelerar descarbonização

descarbonização

O BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e a GFANZ (Glasgow Financial Alliance for Net Zero) assinam nesta segunda-feira (26), em São Paulo, cartas de interesse para desenvolver soluções que ampliem o financiamento em projetos de descarbonização da economia brasileira. A GFANZ é uma entidade que reúne instituições financeiras empenhadas na transição da economia global para emissões líquidas zero de gases de efeito estufa até 2050. A parceria vai unir a expertise do BNDES, maior financiador de energia renovável do mundo e maior estruturador de projetos de infraestrutura do país, à rede da GFANZ, que agrega 675 instituições financeiras em 50 países, sendo especialista em mobilização de capital para transição climática.


O documento será assinado durante as reuniões prévias da Trilha de Finanças do G20, pelo presidente do BNDES, Aloizio Mercadante, e pelo copresidente da GFANZ e enviado especial da ONU para Ação Climática e Finanças, Mark Carney.


A iniciativa a ser desenvolvida deve reunir, em um único ambiente, os principais projetos brasileiros que podem receber financiamento. O objetivo da plataforma é mobilizar o financiamento climático nacional e, principalmente, internacional, para promover a agenda de crescimento verde do Brasil e permitir que o país cumpra as metas do Acordo de Paris. “Estamos estudando novas possibilidades de acelerar a reindustrialização verde do Brasil e a parceria com GFANZ pode ajudar ainda mais o país a atrair investimentos internacionais”, avalia Mercadante.


siemens

A plataforma a ser criada vai ajudar a desenvolver soluções para gerar empregos sustentáveis, ampliar o investimento em tecnologias de baixo carbono e desenvolver as economias sustentáveis do Brasil que protegem a natureza e a biodiversidade. “Esta iniciativa faz parte da estratégia do BNDES de mobilizar o capital do banco com recursos privados das mais variadas fontes para as diversas rotas tecnológicas disponíveis para a transição energética do Brasil, como geração renovável, biocombustíveis e soluções baseadas na natureza”, explica a diretora de Mercado de Capitais e Finanças Sustentáveis do BNDES, Natália Dias.


Com energia renovável abundante e recursos naturais, o Brasil está bem-posicionado para lançar projetos de descarbonização, estabelecendo o país como um grande produtor global de produção industrial verde. Segundo Carney, “o compromisso histórico do Brasil e sua atuação de destaque em inovação fizeram do país um líder global em clima. A renovação de suas ambições cria uma oportunidade única de acelerar um crescimento inclusivo, forte e sustentável. A plataforma irá apoiar os dados, planejamento e investimento que essa transição ambiciosa e fundamental necessita.”


Fonte: BNDES

Imagem: Canva


siemens

Comments


160x600 whitepaper siemens.jpg
bottom of page