• Brasil 4.0

Dados e inteligência comandam a transformação do processo produtivo na Indústria 4.0

No último dia do Digital Series Indústria, o destaque ficou para a união da capacidade humana em aproveitar informações e da tecnologia para evolução das organizações


Nesta quarta-feira, 02 de junho, encerrou-se o Digital Series Indústria, que trouxe um rico conteúdo sobre como as plantas fabris do País estão se modernizando e colhendo benefícios das novas tecnologias disponíveis. Não é surpresa que a maioria das opiniões dos painelistas converge para o máximo valor dos dados, que se transformam em informações inteligentes no aperfeiçoamento do processo produtivo e proporcionam novas experiências ao consumidor.


Essa foi uma das conclusões do webinar ‘Inteligência Artificial (IA) na Indústria 4.0 – Transformando Produtos e Serviços, Gerando Novos Negócios’ com os debatedores Angelo Figaro, CIO da Renault Nissan Mitsubishi; Renata Zepelini, Senior IT Director da Pepsico; e Lyzbeth Cronembold, Founder & CEO da Changers, com moderação de Pablo Valle, coordenador da Pós-graduação em Indústria 4.0 da Universidade Federal do Paraná (UFPR).


Para que as indústrias atinjam o patamar de uso da Inteligência Artificial na produção, deve haver a transformação do grande volume de algoritmos coletados pelos sistemas automatizados em informações inteligentes. As aplicações criadas a partir dessas informações é que solucionam as demandas de cada tipo de produção. Na opinião de Renata Zepelini, Senior IT Director da Pepsico, “precisamos identificar quais as tecnologias são as mais adequadas para o processo produtivo, alimentos no nosso caso, e organizar o melhor conjunto de dados possível para aplicá-los em benefício da organização”. Para Renata, a TI assume nessa nova etapa da Transformação Digital para um papel de consultor de tecnologia, de segurança e de guardiã da segurança da informação.


Na Renault Nissan Mitsubishi, a captura e tratamento de dados transacionais, estruturados e não estruturados já proporcionam o uso de Machine Learning e Inteligência Artificial para análises preditivas em manutenção, predição de vendas e preferência do público e para soluções do carro conectado às soluções de cidades inteligentes. “Sensores captam, por exemplo, ruídos emitidos pelas máquinas no chão de fábrica. Se há alguma irregularidade, conseguimos prever quando devemos parar um equipamento para manutenção. Isso é um ganho significativo para a empresa, pois produzimos um carro por minuto e imagine quanto custa um minuto da linha de produção parada por falhas mecânicas”, explica Angelo Figaro, CIO da Renault Nissan Mitsubishi. O executivo chama a atenção para o fato de que a TI não seja o gargalo da produção. “O dado tem de se transformar em informação para que ela seja usada para ações em campo. Devemos identificar quais informações são aproveitáveis e geram benefícios para o negócio.”


Lyzbeth Cronembold, Founder & CEO da Changers, valoriza o papel das pessoas em todo o processo de disrupção e da indústria 4.0. “Os profissionais devem buscar nas suas empresas os colegas com os quais se identificam mais e construírem juntos a contribuição que torna a organização mais inteligente”, afirma. Para Lyzbeth, o caminho da evolução é a soma da contribuição de cada pessoa com o legado de informações das empresas. “Essa é a composição entre os algoritmos e o valor de cada um.”


A hora e a vez do IA e do Blockchain

A Inteligência Artificial (IA) e o Blockchain são tecnologias complementares e sinergéticas. De um lado, a IA adiciona informação na captura de dados e tomada de decisão, por outro lado, o Blockchain é quem fornece integridade, segurança e descentraliza o ambiente no qual as transações ocorrem, o que contribui muito para melhoria do processo. Esses temas tão interessantes foram debatidos por Cristiane Tarricone, conselheira do Instituto Colaborativo de Blockchain. Em entrevista à Ana Caparroz, especialista em Marketing e Relacionamento da Informa Markets, Cristiane deu uma aula de como essas duas ricas ferramentas vem dando o tom na Indústria 4.0 e tornando a cadeia produtiva mais eficiente e segura.


Para Cristiane, estamos em plena revolução da Indústria 4.0 e a bordo de uma revolução tecnológica que vai transformar radical e fundamentalmente a forma como vivemos, trabalhamos e como nos relacionando. “É uma realidade, estamos vivendo essa transformação hoje. Na Indústria 4.0, há uma grande convergência nas tecnologias digitais, tanto física quanto biológica, e isso forma uma fábrica inteligente, que entregam valor e produtos mais personalizados na ponta para os clientes. Essa modificação traz mudanças significativas, inclusive ética e a segurança geográfica”.


Segundo pesquisa recente do ManpowerGroup, 42% de empresas no Brasil têm intensificado seus investimentos em digitalização de empresas e de sua produção fabril contra 38% no mercado global. E, apesar do índice de desemprego estar em patamares altíssimos no país, a condição de emprego na área de tecnologia está bem diferente. Neste universo específico, como IA, Analytics, Big Data, IoT, 90% dos empresários no Brasil, que efetivamente estão fazendo modificação em suas fábricas, estão contratando. O ponto crítico é o gap da mão de obra para essas tecnologias. O Fórum Econômico Mundial afirma que, até 2025, o número de horas trabalhadas por homens em máquinas será igual. É um indicador forte para todos que atuam na Indústria 4.0 fazer modificação e começar a implementar essas tecnologias, seja blockchain ou IA.


Blockchain é uma tecnologia disruptiva e que vai desintermediar os processos que hoje são centralizados. E isso muda fundamentalmente como os modelos de negócios ocorrem atualmente. Mas ainda vai levar um tempo para ser totalmente implementada e vencer a desconfiança que ainda paira em algumas questões. O blockchain traz credibilidade e autenticação, uma vez que a criptografia está em sua operação. Já a IA, que está cada vez mais inserida em nossos dias, tem a característica de permitir a personificação e tornar produtos entregues ao consumidor personalizados. Por fim, Cristiane destaca que a IA, mesclada com blockchain, trarão ganhos potencializados para todos os setores da economia.


Acesse todo conteúdo Digital Series on demand, clicando: https://futurecomxperience.com.br/login


Sobre o Futurecom – https://www.futurecom.com.br/pt/plataformadenegocios.html


O Futurecom é a plataforma de negócios que impulsiona o ecossistema de tecnologia e telecomunicações, apresentando soluções para o seu negócio, por meio de conexões de comunidades, relacionamentos e conteúdo de qualidade em todos os ambientes: digital, físico e simultaneamente. O Futurecom conta hoje com uma base de dados qualificada, com mais de 151 mil contatos de profissionais do setor e diversos canais, como plataforma digital, website, redes sociais e um portal de conteúdo exclusivo. Futurecom é o parceiro estratégico ideal para promover marcas, lançar produtos, gerar leads qualificados e realizar ações personalizadas para obtenção de um melhor retorno de investimento, com mais foco e assertividade.


A Informa Markets cria plataformas para indústrias e mercados especializados para fazer negócios, inovar e crescer. Nosso portfólio global é composto por mais de 550 eventos e marcas internacionais, sendo mais de 30 no Brasil, em mercados como Saúde e Nutrição, Infraestrutura, Construção, Alimentos e Bebidas, Agronegócio, Tecnologia e Telecom, Metal Mecânico, entre outros. Oferecemos aos clientes e parceiros em todo o mundo oportunidades de networking, viver experiências e fazer negócios por meio de feiras e eventos híbridos, conteúdo digital especializado e soluções de inteligência de mercado, construindo uma jornada de relacionamento e negócios entre empresas e mercados 365 dias por ano.


Serviço: www.informamarkets.com.br

Por: Redação InforChannel

Fonte e imagens: InforChannel

41 visualizações0 comentário
Creating-a-Sustainable-Future-wp-banners160x600.jpg