top of page
  • Foto do escritorBR40

O impacto positivo das micro e pequenas empresas na economia nacional

Segundo dados do Sebrae, estes negócios são responsáveis por cerca de 27% do PIB do país


Este mês de outubro contém uma data relevante para o segmento das micro e pequenas empresas, trata-se do dia 5, quando a categoria é celebrada nacionalmente. A data põe em evidência os empreendimentos que compõem uma grande porcentagem que formam a base econômica do Brasil. Segundo dados do Sebrae, estes negócios são responsáveis por cerca de 27% do PIB do país, além de representar 98% do universo empresarial, contabilizando um total de 8,9 milhões de micro e pequenas empresas.


O setor possui grande participação também na geração de empregos, sendo responsável por 52% da criação total de oportunidades, além de 40% na massa salarial. É correto afirmar que estes negócios possuem grande relevância, não apenas por estes números, mas também pelo fato de que as pequenas e médias empresas se fazem presentes no nosso cotidiano, contemplando as mais diversas necessidades e facilitando processos dos mais variados tipos.


Por desempenharem um importante papel na economia nacional, as micro e pequenas empresas precisam ser mais valorizadas, com políticas públicas horizontais que facilitem o ambiente de negócios, que ainda apresentam inúmeros pontos de melhoria, seja na facilitação das obrigações fiscais, trabalhistas e tributárias, no melhor acesso `a tecnologia e ao capital, inclusive humano, que possam criar alavancas permanentes de ganhos de produtividade. Apoiar o comércio local, por exemplo, é uma maneira de fomentar e movimentar a economia.


As estatísticas oficiais evidenciam a dificuldade de sobrevivência dos pequenos negócios, com elevada taxa de mortalidade nos primeiros anos. Os anos recentes foram ainda mais desafiadores, com milhares de empresas fechando devido aos impactos da pandemia.


Há não muito tempo, escrevi nesta coluna como a automatização de processos é um caminho para o aumento da produtividade. O investimento em tecnologias nas micro e pequenas empresas é uma forma de aumentar a qualidade dos serviços prestados, fazendo com que, desta forma, os negócios prosperem e que o setor tenha uma participação ainda mais relevante na geração de riqueza do país.


Os empreendedores possuem a oportunidade de contar com inúmeras opções de serviços que automatizam parcialmente a gestão de seus negócios, seja por meio de sistemas de gestão, e outros softwares complementares. Para o empreendedor, investir na capacidade dos negócios é uma alternativa bastante eficiente quando pensamos, especialmente, no longo prazo, visto que a automatização permite que o tempo e o esforço sejam direcionados exclusivamente para os serviços e produtos oferecidos pela empresa, aumentando a qualidade e permitindo um crescimento mais estruturado dos negócios.


O segmento de MPE já percorreu um longo caminho e conquistou marcos importantes para seus empreendedores. É importante frisar que a padaria do bairro, assim como a borracharia do vizinho e a confeitaria da esquina são essenciais para o fomento da economia local e, num plano maior, junto a diversos outros empreendimentos, podem impulsionar a economia nacional. Contudo, reforço que é necessário investimento para aumento do nível de produtividade e ações concretas que favoreçam o ambiente de negócios.



Por: Marcelo Navarini é COO do Bling, sistema de gestão da Locaweb Company. O executivo é Administrador e Mestre em Economia Internacional. Antes do Bling, Navarini atuou como Investment Officer na CRP Cia de Participações, em transações de Venture Capital e Private Equity, além de outras experiências em empresas do setor financeiro e de bens de consumo. Atualmente acumula, também, o cargo de Diretor de Operações da Pagcerto.

Fonte e imagens: Startupi

160x600 whitepaper siemens.jpg
bottom of page