top of page
  • Foto do escritorBR40

Profissionais imprimem orelhas 3D com células vivas em curso de Cultivo Celular

Tecnologias que criam estruturas celulares vivas usando uma impressora 3D já são realidade. Durante a 8ª edição do curso de Cultivo Celular, fornecido pelas empresas GCell e Eppendorf no Instituto SENAI de Inovação em Biotecnologia, especialistas e docentes puderam acompanhar uma demonstração inusitada da startup 3DBS: a impressão de orelhas 3D com células vivas.

Instituto SENAI de Inovação em Biotecnologia está desenvolvendo trilha de conhecimento na área; inscrições para o curso de Técnicas de Cultivo em 2D já estão abertas

A construção de tecidos com essa técnica permite um modelo alternativo para testes de citotoxicidade que usualmente são feitos em animais experimentais. Testes de citotoxicidade servem para mostrar os efeitos tóxicos que as substâncias podem produzir e doses em que ocorrem.


Uma vez que a tecnologia permite a impressão de tecidos mais próximos da realidade – como a demonstração da orelha 3D –, testes em animais podem ser substituídos pelo cultivo de tecidos e órgãos como a pele, com a intenção de fazer análises de cosméticos, por exemplo. O mesmo vale para a indústria farmacêutica, já que todo medicamento passa por este processo.



Segundo Nathalia Ramalho Moreira, coordenadora técnica do SENAI Dr. Celso Charuri – unidade referência na área de Biotecnologia, para que seja possível a impressão 3D, é necessário antes passar por dois processos: o cultivo 2D de células (em monocamada, que é o início do cultivo celular) e o cultivo de células em 3D (que seria a formação de esferoides, ou seja, ultrapassando mais do que uma camada de célula para garantir resultados mais eficazes). Depois desses processos, é possível realizar a padronização da impressão 3D do tecido-alvo do estudo.


A unidade SENAI de Biotecnologia se prepara para formar uma trilha de conhecimento completa para profissionais que desejam obter essa especialização. Os interessados começam seus estudos em Técnicas de Cultivo, passam pelos Testes de Citotoxicidade e finalizam no Cultivo Celular 3D e na Bioimpressão.


Formação inicial e continuada


O curso “Técnicas de Cultivo com Linhagens de Células de Mamífero” é o primeiro da trilha de conhecimento na área e está com inscrições abertas. Quem se matricular tem a oportunidade de conquistar uma certificação para trabalhar com células, unindo conhecimentos teóricos e práticos durante a aprendizagem.



A primeira turma do curso de aperfeiçoamento, que entra na trilha de formação inicial e continuada, foi concluída em julho de 2022, com alunos de todo o Brasil e em diferentes áreas, como zootecnistas, biólogos e profissionais da indústria veterinária.


“A certificação permeia diferentes áreas. Você pode produzir desde carne usando células, que seria a carne cultivada, alimentos de fronteira que grandes empresas estão investindo, proteínas alternativas plant based, até atuar na indústria veterinária, farmacêutica e de cosméticos, produzindo medicamentos com bioprocessos utilizando células animais”, explica a especialista.


O curso acontecerá de 26/09 a 30/09, com 16 horas de duração no período da noite, durante uma semana. A unidade fica localizada no bairro do Bom Retiro, na cidade de São Paulo.



Fonte e imagem: SENAI-SP

160x600 whitepaper siemens.jpg
bottom of page